Refletindo sobre Cambaio [a seco]

Hoje tenho vontade de refletir sobre “Cambaio [a seco]”, a peça-show que está em cartaz no Sesc Pompéia, às quintas-feiras, 21horas.

Para quem isso é uma novidade, a peça-show reúne três atores (Mayara, Guilherme e eu) e o grupo 5 a Seco, acompanhados da cantora Tatiana Parra e do músico Michael Ruzitschka, interpretando a história e as músicas da peça “Cambaio”, de João e Adriana Falcão. As músicas são do Chico Buarque e do Edu Lobo.

Os ensaios dessa peça começaram no ano passado: leitura da peça, encontro com o 5 a Seco e a intenção de descobrir que caminho seguir para a montagem. O texto da peça brinca com repetições de cenas, com inversões dos papéis, com jogos de palavras. Entre os atores, brincamos como palhaços, revezamos os personagens, influenciamos um ao outro com as imagens que trouxemos para os ensaios. Sim, imagens!

Vou abrir um pouco dos nossos segredos aqui, compartilhando como cada personagem “nasceu” porque sempre fui muito curioso e assisto aos “making ofs” dos filmes que alugo, mas no nosso caso, o making of é escrito, nesse texto aqui mesmo.

As imagens foram um pedido do Rafael, nosso diretor:

– Tragam imagens que tenham a ver com o personagem de vocês! – No caso do Guilherme, o Cara, no da Mayara, a Bela, e no meu, o Rato (o cambista que vende ingressos para o show do cara e se apaixona pela Bela).

Dessas imagens, que reuniram personalidades tão diferentes quanto Didi Mocó, Marcelo D2 e Eike Batista (!), foram brotando uma série de gestos, intenções e caraterísticas que viraram o Rato. Não é possível abarcar racionalmente esse processo! É como cozinhar: os ingredientes se misturam, vão pra panela, esquentam, o chefe sente o gosto, coloca mais sal, abaixa o fogo, leva ao forno e viola, temos um assado novo, um prato pronto pra ir pra mesa. E o prato-personagem va combinado com os outros dois pratos-personagens. Foi importante revezarmos nos papéis durante o ensaio par sentir o gosto e ver pelos olhos dos outros dois cozinheiros. Serve pra temperar melhor nosso próprio prato! E não acaba aí!

Compartilho aqui essa foto de um protótipo de figurino do Rato, inspirado em Ribamar, do “Sai de Baixo”. É porquê eu gosto muito de sugerir, mudar e jogar fora idéias para esses trabalhos.

Para essa peça há um buffet variado porquê a história é recheada com música! Os músicos criaram arranjos novos para as canções e interpretações que estão diretamente ligados ao contexto da peça: “Ode aos ratos” é dinâmica e rasteira. “Veneta” é alegre, rasgada e apaixonada!

Temos mais duas apresentações no Sesc Pompéia e essa reflexão vem pra organizar o caminho. E fica aqui minha admiração por nossa trupe: é a primeira vez que faço uma peça com Mayara, Guilherme e Rafa e a criatividade desse grupo me surpreende a cada vez!

Advertisements

One response to “Refletindo sobre Cambaio [a seco]

  1. Gera, muito bom o post! Adorei! Orgulho de nosso Cambaio a Seco! Também tenho um blog e vou adicionar você! Beijos!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s